Senta e chora? Não, mão na massa!

- Planejamento Mercado Clientes

DEU MERDA. E agora?

Opção 1) Unir todos em uma roda e chorar juntos;
Opção 2) Sair correndo;
Opção 3) Fazer uma oração e esperar pelo milagre.

Não da, né? Brincadeiras a parte, o desespero diante de um erro é mais ou menos esse mesmo. O que fazer? Em minhas experiências, já passei por situações em que o erro veio dos céus, veio de mim, veio do cliente, veio do fornecedor... e sentar e chorar nunca foi a melhor solução. Já ouviu falar do famoso plano de contingência? Agora é a hora desse lindo entrar em ação.

Sempre ao iniciar um projeto, mesmo com a correria dos prazos apertados, é necessário que, no processo de desenvolvimento, seja pensado o seguinte: e se não der pra ser assim? Qual a segunda opção? Qual o plano B que atende o cliente em suas necessidades?

E se o pesadelo começar, uma dica de quem já quis arrancar os cabelos com uma pinça: mãos na massa.
Consulte a lista de outros fornecedores buscando soluções viáveis para a resolução do problema. Faça um novo protótipo, busque um novo papel, busque outro acabamento, outro material, busque soluções que, aos olhos do cliente, sejam exatamente o que ele esperava (e claro, ele não fará nem ideia do mágico processo que um erro pode operar).

Apresentar aos clientes um problema jamais será a solução. Encare o problema como seu. Seu filho não para de chorar, o que fazer?

É um problema seu, certo? Da para passar para o vizinho? Não! AH, e a solução sempre vem junto com a certeza de que seria melhor ter evitado o problema! Por isso, o maior conselho é sempre observar o material, seja impresso, sejam brindes, seja comunicação visual, e pensar nos mínimos detalhes e nos possíveis imprevistos.
Pare, pense e observe. O melhor amigo do imprevisto é o preparo!



Por: Lais Santos